segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Plantas identificadas 2 - p/ Monica Loureiro

Zentchi! A pergunta da nossa mocinha Inventadeira de moda, Monica Loureiro, no post Plantas identificadas, acho que vale uma nova abordagem ao assunto. E eu que nem gosto de umas tecladas de prosa, quando acho assunto, conveeeerso pelos dedos... kkkkk... É só uma repaginada nos ditos populares.

Mas, a pergunta da Monica, "Achei legal a idéia , podemos fazer isso com tinta preta? Qual?", é sobre a pintura nos vasinhos rústicos de barro, pintados de preto com escrita em branco imitando giz no quadro negro. Lembra????.... Não tem importância.

Devido ao meu temperamento compulsivo, quando o caboclo resolve baixar, já chega ditando ordem "tem que ser agora!", por isso vivo de experimentações e de lançar mão ao que tenho no baú dos guardados (chamo isso de elemento surpresa). Tudo bem que nem sempre minhas arteirices são bem sucedidas mas, tá valendo o aprendizado.

Nas foteinhas (que tirei há poucos minutos e ainda foi com o celular... hunnnf!) esses vasinhos foram pintados com sobras das tintas acrílica a base d'água, usadas na reforma da casa.
Depois de pintados, os vasos ficaram por quase um mês desocupados. Só quando resolvi colocar terra e habitá-los é que me veio a preocupação com a umidade. Mesmo tendo plantado suculentas neles, não sigo as regras dos dedos-verdes (pra variar, né?) e como o clima de Brasília é desértico (seco e quente), rego-os diariamente. Nunca apresentaram bolhas ou qualquer deformidade por causa do tratamento aquoso.




Ao lado (no blog) tem foteinhas da minha caixa-d'água-floreira que também recebeu a mesma tinta, por sinal até da mesma cor...hihi... também é regada diariamente. Apesar do material ser bem diferente: os vasos são de barro e a floreira é de amianto... estão resistindo à água.

O abajur é de um material que parece gesso, bem fininho, era um jarrinho de cor laranjão, comprado no R$ 1,99 (não resisto a essas lojinhas) aí, um dia, me deu na venta de pegar um pouco das sobras das tintas e misturar aquele xadrez líquido na cor preta. Ficou assim... pessoalmente, olho-no-olho, ficou legal. Apesar de não ser molhado em tempo algum, acho que o padrão de resistência é o mesmo para os outros, devido à qualidade e tipo da tinta.

Agora um detalhe que tá martelando aqui pra eu não ficar calada e que pode ser o "pulo do gato". As tintas são acrílicas a base d'água e Super Laváveis. Talvez esteja aí o segredo da durabilidade.

Alguns artistas e arteiros dizem para fazer um fundo preparador antes de qualquer trabalho. Algo do tipo Primer. Pelas minhas garimpadas já percebi que hoje tem Primer pra tudo: para vidro, madeira, metais etc etc... Mas, olhando sites de jardinagem vi que a impermeabilização de vasos, seja lá com o que for, só deve ser feita do lado de fora, para não prejudicar as plantas. Os de dedo-verde falam que a porosidade dos vasos ajuda na drenagem e até no combate aos fungos que atacam raízes e caules dos amados vegetais.

Bom saber :D

Esses outros vasinhos já têm uns 5 anos. Fiz com verniz vitral. Primeiro dei um fundo com uma tinta acrílica e depois usei a técnica do verniz na água. Forre com saco plástico, uma vasilha, pode ser um balde (desde que caiba a peça). Coloque água no balde até que cubra a peça a ser pintada. Despeje, sobre a água, fios de verniz. Pode misturar cores. Mexa levemente com um palito de churrasco, só mesmo pra fazer desenhos, ondulações, círculos na camada de verniz sobre a água. Pegue a peça, segure pelas partes que não receberão a pintura e mergulhe-a devagar no balde. Segure um cadim, conte até 10, e retire-a devagar. Deixe-a secar de boca pra baixo, sobre uma folha de jornal por pelo menos 24h, dependendo do clima. O produto tem cheiro fortíssimo, por isso, deve ser manuseado em local arejado.

Só dá trabalho porque se colocar muito verniz as camadas ficarão grossas, fazendo relevos na superfície da peça e demorando bem mais tempo para secar; se mexer demais com o palito vira uma peloteira danada e o virniz vira um chiclete na vareta; e se demorar a mergulhar a peça, o trem seca e vira uma nata sobre a água. Mas o final é gratificante.... só fiz uma vez. kkkkkkkkk

* * * * *


Hummmm... olhando bem para essas minhas foteinhas me veio uma ideia. Talvez funcione. Uma dica interessante para saber se a repaginada no ambiente, se a nova decor da sala ou do quarto, ficou legal é, pegar a máquina fotográfica ou o celular e tirar fotos, colocar no computador e observar os detalhes. Ficou legal? Beleza. Mas, se você perceber que as cores dos vasinhos estão combinando demais com o tampo do "giral" de suculentas e que tudo tá sumindo no muro, pintado da mesma cor. Tá mais do que na hora de mudar, né tia Sil?

Putzzz! A gente acaba se acostumando demais com o mundo que nos cerca. Precisamos olhá-lo por um outro ângulo.

4 comentários:

Paula disse...

Oi, Sil, tô na ronda da noite, hehehe!! Essa história de agua aromatizada eu vi uma vez no seriado Gilmore Girls, no hotel eles punham fatias de pepino na jarra, eu fiz, e ficou m-a-r-av-i-l-h-o-s-o!! Ah, tb fiz com a prima rica do pepino, que é a melancia. Puro frescor...E abacaxi, então?? Deus nos ajude! E quer saber, é uma ótima alternativa para quem bebe pouca água. Ah, os vasos estão legais, mas se vc quer um dica, coloque cola cascorex na tinta acrílica, pinta e depois me conta...Tente um vermelho. Vc vai adorar...
Beijos
Paula

Nile e Richard disse...

Oi Sil.Adorei os casos.Para mim está tudo perfeito.bjtos.Nile.

Vivian disse...

gostei das dicas !!

bjks

bye

margaret disse...

Mulher...primeiro que amei tudo...o palavreado...as fotos...e voce me ensinou uma coisa que tem um tempao que quero fazer....so to pensando como faco pq o vaso que quero fazer isso (o negocio da tinta vitral) é grandao...mas ao menos aprendi como faz...(quer dizer neh...com tanta tecnica de quantidade, de mexida, de secagem....) ehhh...talvez ate dê certo...
massa esse post...como diz meu amigo paulista aqui do meu lado: "mó legal"