sexta-feira, 27 de março de 2009

Suisekis, penjings e concreto celular

Uááááááááááffffffffffff!!!
Zeeenti, dormir dá um soooono!
Ééé! Isso mesmo! Eu tava ali, tirando uma sonequinha. Podem puxar a zureia.
Foi só para recarregar as baterias... hihihi
Tá bom! Tá bom! Ninguém engana vocês. E se eu disser que faço o tipo que mora sozinha e de vez em sempre foge de casa, vocês não vão me chamar de doida, maluca, pirada varrida, né?
Hum! Quem nunca sentiu uma pontinha de vontade de fugir que me atire a primeira mala juntamente com as passagens, viu? Depois ajusto as contas com o Dr. R, meu psicopata, digo, psiquiatra. Na última consulta, desconfio que não interprei certinho quando ele me disse "descubra uma válvula de escape!". Escape é fuga, né não? Então! Fugi! Mas, me acharam catando pedras e voltei só pra contar as novidades dessa "viagem".
Já falei aqui que sou doida por pedras e que gostei por demais da ideia de enfeitar mini jardins com pedrinhas e seixos empilhados. Agora daí para descobrir que esse gosto é muito além de "doidera", que é uma respeitada e disputada arte milenar. Bom! Essa descoberta foi um passo para me encher de argumentações para quando me perguntarem "pra que essas pedras dentro do carro?". Não preciso mais dizer que são para "mautoristas" que compraram carteira na feira-do-rolo. Agora respondo que são ou serão Suiseki - arte em pedra (ou ao menos pretendo que sejam).
Andando aqui e ali fui tomar um chá no Aido Bonsai, casa do Paulo Netto, um apaixonado estudioso por bonsais e artes afins. Durante o chá descobri que essa coisa de procurar, analisar, admirar e colecionar pedras tem muito a ver com "SUISEKI - pedras formadas naturalmente pela natureza, admiradas por sua beleza e pelo poder de sugerir uma paisagem, pessoa, animal ou objeto". De lá da casa do Paulo Netto peguei algumas fotos e uma rápida explicação para as regras de um suiseki, e visitando o espaço pode-se aprender os fatores que ajudam a visualizar e identificar um suiseki, bem como seus estilos.






Segundo Netto, "a palavra Suiseki significa literalmente “Pedra de Água” (Sui - Pedra e Seki - água). Esta arte se originou há dois mil anos na China, onde pequenas pedras de grande beleza natural eram colocadas sobre “Suibans” - bandejas -representando montanhas lendárias e ilhas, associadas às crenças budistas e taoístas. Os Suisekis são expostos tradicionalmente em bases de madeira de lei (Jacarandá, Mogno, Cerejeira, Pinus Negro…), entalhadas exatamente no tamanho e contorno da pedra. A arte do Suiseki está diretamente ligada às pinturas clássicas de paisagens chinesas e japonesas."



Mas não vale usar de artíficios e modificar uma pedrinha só para ficar parecida com o cãozinho da família, ou sugerir um casal abraçado e até uma galeria de montanhas. Paulo faz a observação de que "alguns estabelecimentos comerciais que vendem pedras para colecionadores utilizam uma variedade de métodos para valorizar e dar movimento estético às pedras, limando, cortando, queimando com ácido para alterar as cores das pedras. Isto foge completamente ao conceito inicial e milenar da arte. O colecionador pode ressaltar as cores com uma camada de verniz mate. Os puristas têm como opinião que isto se afasta e viola o espírito de Wabi, Sabi, Shibui e Yugen.
A pedra pode apenas ter sua base cortada para poder dar equilíbrio e sustentação, mas ele deve estar totalmente natural como foi encontrada na natureza. ", recomenda Paulo.
"A beleza de um Suiseki deriva em parte do poder que ele possui de sugestionar a visualização de uma paisagem."



E o que dizer da combinação de bonsais, suisekis e outros elementos em uma bandeja? Acho que rende Penjing (paisagem em bandeja). A primeira foto é de um dos trabalhos do Netto, as seguintes são trabalhos de mestres apresentados por Netto.


Passo-a-passo desse penjing, aqui








Fazendo montanhas e pedras com concreto celular
Esta outra maravilha tem um segredo super demais que o Netto faz questão contar. A base desta paisagem, criação do nosso amigo, é uma modelagem em concreto celular. Tem passo-a-passo com dicas da hora, para quem se animar em esburacar um tijolo.




Mas, bom mesmo é visitar o Aido Bonsai e escancar portas e janelas para se inspirar com os trabalhos do artista e sua galeria de fotos assinada por grandes mestres desta maravilhosa arte milenar.

3 comentários:

Gualter de Castro disse...

Lindo artigo. Gostei muito do blog ! Maravilhoso, interessante, bastante informativo e diversificado para os amantes da beleza da arte em todas as suas formas. A admiração pelas pedras, ou os seus Suisekis, demonstra a sensibilidade pela contemplação das formas pela ação da natureza em si própria. A formação de uma bela obra da natureza pela sua própria ação do tempo, do vento, da água, do ar no decorrer dos anos. O blog tem tudo que possa agradar à admiração e contemplação das sensibilidade e espirituralidade humanas. PARABÉNS ! GOSTEI MUITO, de tudo ! Tah nos meus Favoritos.

mocorongo disse...

Muito bom seu blog, parabéns!, você escreve de uma forma descontraída e muito gostosa de lêr !
Adorei vêr o artigo do suiseki aqui ! Beijão !
Paulo Netto (Aido Bonsai)

Andréa disse...

Muito bom o seu blog, tão variado, tem de tudo. E tudo de bom. Muito divertido e gostoso seu jeito de escrever, dá gosto de ler. Tive muitas inspirações aqui e fiquei sabendo de um monte de coisas que não conhecia. O Adenium é uma delas. Parabéns e obrigada por compartilhar suas pegadas! Uma frase que ouvi esta semana e tem a ver com seu título: mato a cobra e ainda mostro o pau sujo de sangue...