terça-feira, 30 de setembro de 2008

Arte nas Lata da Magui Nascher


Ideias, ideias, ideias... essa história de escrever ideia sem acento agudo tá muito estranha. Eu passo quase 40 anos escrevendo idÉia e eis que de repente o Lulalá resolve matar o acento. Estou de luto!

Essas idEias para reaproveitamento de latas, já faziam parte do meu acervo de simpatia há bastante tempo. São trabalhos da Magui Nascher do Arte em lata. E para quem ainda está em dúvida do que fazer ou qual ou, ainda, quais texturas usar na tchutchucas recicláveis de leite em pó, molho de tomate, cereais e outras conservas, lá no espaço da Magui tem muitas idEias legais....

Eu ainda me acostumo sem o ele...mas dói... ou será doi?

Tepetes no chão ou na parede?

Amanhã volto à vida de operária despadronizada!!! Alguém lembra do prêmio Operário Padrão do Sesi/Senai?
Hummmm?!?!? Não tem importância.

Quase 5 meses de Licença Avónidade (acho q fui eu kem inventou). Infelizmente, por deslizes cometidos pelo meu estagiário-substituto (q hj teve os serviços foi dispensados) não terei o privilégio da licença de 6 meses. Será q rolava? Hummmmm... duvido muito, meu paitrão já andou tirando a cueca pelo pescoço umas mil vezes durante a licença....kkkk
Mas, hj foi o dia de me preparar física e psicologicamente para o retorno.

Bom! Mas estou contando isso só pra dizer q minhas novidades, a partir de amanhã, só aparecerão à noite. Depois das 19h. E hj já fiz o teste. Só me conectei às 22h, portanto, tem uma hora q estou garimpando aki e akolá e achei esses trabalhos muuuito da hora do Zetapetes ou Tapetes do Zé, como preferirem. Fikei impressionada com a técnica da costurança dos retalhos. Formam molduras, mandalas... dá pra viajar no grafismo psicodélico do Zé. Eu q há mais de 2 anos penso em aprender a passar a linha na máquina q ganhei de presente do Cris, acabo me impressionando com certos e.... errados trabalhos. No caso do Zé, são certíssimos e lindos d+. Só não sei se os usaria nas portas ou nas paredes... ou até mesmo como capas de almofadas.





segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Idéias ecologicamente necessárias

No cyber café, do genro da Sandra Dias-Interiores (membro da Comunidade Casa e Jardim), as luminárias foram feitas com xícaras e filtro de café. Tudo a ver.


A Thitha (comuna casa e jardim) postou essa idéia da hora, um pote com reaproveitamento da embalagem de massa corrida e textura com filtros de café. Bonito e ecologicamente necessário.


José Jaime R. Siqueira (comuna casa e jardim)faz esses relógios de parede com discos de vinil. Jaime faz questão de manter os selos dos velhos LPs. Relíqueas.

Banquinhos da Iara Jamra


Maridos prendados que se cuidem mas, esses banquinhos, aos olhos de esposas, parecem bem simples de se fazer.

E são super fofas essas estampas criadas pela atriz e artista plástica, Iara Jamra, a Prima Pobre do programa Zorra Total.

Luminária pendente by Viviany

Xuxusss, já perceberam que a Viviany, Dona house, chegou de mansinho e já promete nos dar trabalho?...hummmm. A menina é uma "arteira" de primeira e tem umas sacadas simples que fazem toda a diferença.

Gostei por d+ dos quadrinhos do lavabo com o tema banheiras, tudo a ver. E o que dizer da comum luminária japonesa que com alguns "penduricalhos" ficou suuuper original?

Essa luminária pendente (foto), by Viviany, é uma bacia de inox (Carrefour), furadas com broca odontológica (claro, rsrs) e contas de acrílico by 25 de março(Casa Real)...

Show de bola, Viviany.


Fuxicos de crochê da Vânia Dias



Suuuper fofitchos esses fuxicos de crochê que a Vânia Dias ensina lá no ...Fazendo crochê...
Aahhh. Tem até passo-a-passo em vídeo. Pra quem tá iniciando nas laçadas, como eu, essa idéia de PAP em vídeo é show de bola.

Pedra de previsão do tempo

Marisa Salvini (sem link) ficou sabendo que ando doida por pedras e me mandou essa por e-mail. Gostei por d+ da idéia simples e baratérrima de prever o tempo.

Tenham uma ótima semana.


domingo, 28 de setembro de 2008

Tukka e seus botões... retalhos e fuxicos

Fiquei encantada com os trabalhos da Tukka. Uma simpatia de pessoa que tem 1001 botões para suas maravilhosas criações (até rimou)...kkk

São suuper idéias para quem tá mandando bem na costura.

Dei umas pegadas só pra tira-gosto. Bonecas de botões; Fuxico no abajur; Vasinho enfeite de parede; Penduricalho para árvore de Natal; Mini árvore de Natal; Guirlandas.

Obseve que tem sempre um botão para casa ocasião.

Caminho do Artesanato

Garimpando por aí encontrei essas fotos no Caminho do Artesanato, um espaço que divulga os trabalhos de um grupo de artesãos de São Lourenço - Minas Gerais - Brasil.









- Moedor de café












- Quadrinhos com moldura de bambu










- Ferraduras abandonadas viram peças de decoração











- Pato fruteira, trabalho em cabaça







- Velho caldeirão de ferro, ganha vida nova com trabalho em pintura

Reutilização de caixotes de plástico



Passei a semana me segurando para não postar essa pegada do Prendadas.
Genteinnn! O q é isso?
Eu q vivo garimpando aki e akolá e a Ana Medeiros me aparece com uma dessas? Será q foi transmimento de pensação? Só pq aki em Brasília quase não se acha mais akeles antigos caixotes de feira, feitos em madeira?
Mas, eis que me aparece a luz no fim do túnel, ou idéias israelitas para a REutilização dos tais caixotes de plástico.
Se é q podem ser chamados de caixotes.

A história das coisas - indicado por Cláudia Melo

Cláudia Melo postou em seu Pitacos, achados e perdidos um suuuuper vídeo da hora q tem tudo a ver com a filosofia de conscientização. Ainda não tinha visto um trabalho tão transparente e tão tapa-na-cara como este. Vale a pena ver e divulgá-lo. Talvez assim, algumas mentes pensantes do consumismo possam ter um momento de "visagem" e enxergar o futuro que nos espera.

O futuro tá escrito mas, ainda podemos editá-lo.

Obrigada Cláudia, pela dica




ou no link: http://video.google.com/videoplay?docid=-7568664880564855303

Pq SUCULENTAS? - Para Maria Lúcia (Feltro em Casa)

A Maria Lúcia, do Feltro em casa perguntou-me se o nome suculentas é um apelido carinhoso que dei à alguma plantinha. Claro q terei o enoooorme prazer em responder de forma generalizada. Afinal, realmente me dei conta de que esse nome, pra mim tbm é novo e muito amplo. Por isso q eu disse no post anterior q, fico com cara de boba qdo descubro q determinada plantinha é uma "suculenta". E fui ali e ali pegar umas respostas mais técnicas q não farão mal a ninguém.

Essa fotinha eu peguei da Kátia, no Daqui do meu quintal , q aliás tá com um post sobre sua produção caseira, q é de babar. Tem até fotinhas de suculentas bebês em desenvolvimento (tchutchucas!). Ahhh, pode ir lá conferir sem medo, as fotos da Kátia não são de celular (como as minhas)....kkkkkkk... Xêro Katita.


O texto abaixo é um fragmento do site da Angela Goulart Gontijo, uma mineira nascida em Belo Horizonte, radicada em Janaúba, norte de Minas; agrônoma, produtora de plantas ornamentais, especializada em suculentas (q abastece os mercados de BH, SP e DF... obááá!!!). Vale a pena conferir o histórico sobre as apaixonantes plantinhas e as dicas que a Angela nos presenteia em seu site: Suculentas.


"As suculentas são plantas que acumulam água em um ou mais de um dos seus tecidos. Por serem de regiões secas precisam de uma reserva para os longos períodos de estiagem. Elas podem armazenar água nas raízes, caules, troncos, folhas etc. Por isso muitas vezes elas apresentam folhas, troncos ou o caule "gordinhos" cheio de água, daí o nome "Suculentas". As suculentas usam alguns "truques" para diminuir a perda de água como envolver as folhas com uma fina película de cera ou uma camada bem densa de espinhos para fazer sombra no corpo da planta. Muitas suculentas desenvolveram também um metabolismo diferente, chamado CAM (metabolismo do ácido crassuláceo), onde as plantas fecham os estômatos durante o dia e os abrem durante a noite. Estômatos são pequenas aberturas nas folhas que absorvem o dióxido de carbono enquanto as raízes absorvem água.

O alimento para a planta é produzido pela fotossíntese, combinando a água e o dióxido de carbono para produzir açúcares. Nesse processo (fotossíntese) o oxigênio é produzido e liberado no ar. No caso das suculentas o dióxido de carbono absorvido durante a noite é liberado gradativamente durante o dia, e também combinado com vários ácidos orgânicos (ácido málico). Durante o dia este ácido é transformado em açúcar pela ação da fotossíntese. As suculentas são sempre de região seca; porém podem ser de regiões secas quentes ou regiões secas frias como Alpes ou Balcãs (Sempervivum).

As espécies de suculentas são em torno de 22.000, sendo 2.000 espécies de cactus.
As suculentas não são uma família mas um grupo de plantas. Algumas famílias como a das cucurbitáceas (abóboras) possuem
espécies que são suculentas, mas não todas. Fazem muita confusão também entre cactus e suculentas. Os cactus são de uma família do grupo das Suculentas (Cactaceae). Todo cacto é uma suculenta mas nem toda suculenta é um cacto.

Nós fazemos classificação das Suculentas, quanto à luminosidade da seguinte maneira:
VERDE – Muita luminosidade, sem sol direto.
AMARELA – Sol durante parte do dia.
VERMELHA – Sol pleno."


Aki temos o acervo da Angela. Fotinhas com os devidos nomes científicos: aloe variegata, Crassula muscosa monstrose...hummm?!?!?!? Mas ainda prefiro os nomezinhos populares: dólar, dedo-de-moça, rabinho-de-tatu, rosa-pedra, pé-de-peruca, brilhantina etc etc etc.

sábado, 27 de setembro de 2008

Doida por pedras

Já falei da minha mais nova paixão, né? As suculentas. Acho q não há quem não se apaixone por essas lindinhas. E pensem na minha cara de boba qdo descubro q tal plantinha, q já conheço há tempos, é uma suculenta? Putzzz! Só não adianta me apresentá-las com seus nomes científicos, já sou péssima com nomes de pessoas imaginem akeles nomes mais que estranhos? Mas, nada que não se aprenda com um pouquinho de esforço e boa vontade, né?

Como colecionadora principiante, na arte de manejo e reprodução entendo patavinas. Tenho pecado muito com os excessos ora de água, ora de sol, ora de olhadelas. Estou em experimentações com a reprodução das tchutchucas. Faço uma pesquisa aki, pergunto dali e corro lá nas lindinhas pra ver se está tudo dentro das recomendações. Confesso que sou um tanto ansiosa e isso não contribui em nada no desenvolvimento das pequenas.

Agora ando às voltas com criação de mini jardins. Cada plantinha, cada "modelo" de suculenta que vejo já fico imaginando-a na composição de uma paisagem mínima. Assim do nada, sem projetos, sem cálculos e medidas, sentada aqui msmo de frente para o computador entre um assunto e outro comecei a fazer uns ornamentos usando palitos de picolé, de churrascos e até de fósforos. Minhas criações ainda estão um tanto toscas mas dá pra perceber uma cobertura para poços (como esta da foto ao lado), um banquinho, um balanço de playground, um pergolado (facim de fazer).
Ahhhh! Os poços eu comecei fazendo com copinhos de café, colando pedriscos de aquário nas bordas externas do copinho. Mas, dependendo do tamanho do mini jardim, uso aqueles potinhos de cogumelos, de patês ou de vidros que vêm com papinha para bebês.

Não vejo a hora de encontrar (ainda nas caixas da mudança) o carregador e as pilhas da máquina fotográfica e abandonar de vez a idéia de fazer fotos com o celular. Hunnf!!!
As toscas fotos aí em cima, são de um mini jardim lá da casa de mamy. De vez em quando tem q dar manutenção, repôr a areia q vai amarelando por causa das regas e do substrato que está por baixo. Recolocar os pedriscos no lugar, extrair folhas velhas (ahhh! As folhinhas velhas não devem ser jogadas fora. Deixadas no solo do mini jardim, elas brotam e logo logo tem-se uma nova suculenta).

Dizem que os piscianos vêem a mata mas não vêem uma árvore... humm! Mas ultimamente só tenho olhado embaixo das folhas....kkkk. Nada escapa, principalmente os mínimos: enfeites de geladeira, bichinhos com bolas de bude, galhos e tronquinhos, botões, miniaturas de resina... Tudo o que for pequenininho tá no baú. E agora, depois que eu peguei essa foto lá no Bella Dia, nem pedras eu atiro mais!...kkkkk.
Lindas torres de pedrinhas e mini seixos, coladas com cola de silicone comporão meus próximos mini jardins. Claro! Assim que as chuvas derem uma trégüa e o tempo esquentar, não será difícil me encontrar de baldinho na mão, garimpando pedras nas ruas.

Velas iluminam, hipnotizam e aquecem a alma.

Pessoas maravilhosas, bom diiiaaaa.
Ontem fui dormir pesarosa por não conseguir postar nenhuma ideiazinha. Foi uma sexta-feira chuvosa e a energia elétrica... nem vou falar, viu! Mas passou boa parte do dia em uma fase. Um risco para os eletrônicos. Hunnfff!

Mas hoje é sábadão!!! Dia de alegria! Amanheceu um lindo dia de... chuva e um tikim mais frio q ontem. Bão tamém!

Genteinnn!!! Ki dilhiça! Qtos comentsss! Já já responderei a todos.

Com a falta de energia elétrica descobri que o meu estoque de velas tá zerado (outra terapia ocupacional só para consumo de casa mesmo). Então já sabem, né? Neste findi farei velinhas de todos os tamanhos, cores e cheirinhos. Pq captei os sinais: as chuvas chegaram de vez e com elas a luz vai embora. Essa foto, das velas nas taças, já fazia parte do meu acervo, a peguei na Casa Claudia. "A artesã Renata Fleischmann derreteu parafina sólida – cerca de 200 g para cada taça – em uma panela em fogo baixo. Com a parafina líquida ainda quente (e o fogão desligado), ela acrescentou uma pitada de corante em pó amarelo, mexendo levemente com a ponta de um palito. Ao esfriar, entre 30º e 40º C, verte-se o líquido na taça. Quando a parafina estiver quase no estado sólido, o pavio é colocado no centro do copo. Todo o material é encontrado em lojas especializadas em velas."


Esta também veio lá da Casa Claudia.
Aqueles copos e potes de vidro de conservas que blogueiras antenadas não descartam por nada neste mundo, foram reaproveitados e viraram originais vasinhos e porta-velas. Para a terapia, aplique três demãos de tinta látex – cada camada leva cerca de uma hora para secar. Se quiser dar um tchan a mais, cole figuras, aí na foto foram usados decalques da cartela (Armarinho Santa Cecília) mas, figuras de papéis de presente, guardanapos e tecidos ficam ótimos também.
Finalize com uma película de verniz fosco em spray (Acrilex) para impermeabilizar.


As velas geométricas são lindíssimas mas, demandam tempo, um tikim de prática e dindin (para as fôrmas). Aí o desânimo manda o caboclo arteiro embora e nossa terapia vai por água abaixo.

Uma olhadinha nos guardados e... tandaaaann. Sabe o que temos lá? Uma enoorme variedade de elementos que podem ser aproveitados com originalidade, rapidez e economia. Aí é só fazer, acender e curtir.

Velas em bambu, troncos e casca de coco, vidros diversos, elementos marinhos