sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Substratos alternativos

Muito além do xaxim por Manoel de Souza
Os orquidófilos Erwin Bohnke e Rogério Atanázio dão algumas dicas para usar melhor os substratos alternativos.

Casca de pinus - Dica: vai muito bem quando é misturado com carvão vegetal ou pedriscos, principalmente no cultivo de cimbidiuns

Carvão vegetal -
Dica: Muitos orquidários estão usando carvão misturado com casca de madeira moída com excelentes resultados.

Pedaços de ardósia - Dica: coloque duas pedras numa posição de "v" e coloque a orquídea no meio delas. Complete o recipiente com terra vegetal

Pedras brita e dolomita - Dica: se for usado um vaso raso, é possível diminuir a quantidade das pedras e consequentemente o peso

Caquinhos de barro - Dica: antes de usar, deixe mergulhado numa solução de NPK 30-10-10 (uma colher por litro) durante 12 horas. Com isso, os caquinhos ficarão encharcados de adubo e soltaram aos poucos os nutrientes para a planta

Nó-de-pinho - Dica: plante a orquídea na parte de cima do gomo

Casca de peroba
Dica: quando plantar em casca de peroba (ou outra árvore) coloque-a de tal forma que a placa fique inclinada e não totalmente na vertical.

Caroço de açaí - Dica: Antes de utilizar, lave bem para tirar o pó e ferva durante 10 minutos para evitar que o embrião germine

Coco desfibrado - Dica: é substrato mais facilmente encontrado em lojas atualmente. É possível até preparar em casa o coco desfibrado. Basta pegar um coco seco, deixá-lo encharcado na água e depois desfibrá-lo manualmente.

Fibra de coco prensada - Dica: muitas orquídeas, como as vandas, vão bem quando plantadas em cubinhos de fibra prensada nos cachepôs de madeira. Para eliminar o excesso de tanino antes de usar, o fabricante do coxim recomenda a imersão em água por quatro dias para os vasos, por oito dias para os cubos e tiras e, por 15 dias para as placas e bastões

Tutor vivo - Dica: evite colocar a orquídea numa forquilha dos galhos, pois esta área acumula folhas e excesso de umidade que podem prejudicar a planta

Casca da cajazeira -Dica: é a casca que dá melhor resultado com plantas de pequeno porte como as micro-orquídeas

Casca de sambaíba - Dica: colocar a casca sempre em posição vertical no vaso. Isso aumenta a drenagem e ajuda no desenvolvimento das raízes da planta


Fonte: revista Natureza, Editora Europa

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Quadro, colagem com reaproveitamento de materiais

Tava ali dando uma sapeada nas comunas do OrGut e pra não perder essa dica, postada no Decoração de A a Z, peguei logo porque é bem o estilo: fechou sumiu!

Então lá vai ctrlC/ctrlV no tópico da Adriana, membro da comuna (a foteeinha veio de lá tbm mas, já estava ruim na origem).

"Papietagem sobre tela/painel
Materiais:
1 tela/painel,

cola Cascorez,
1 litro de água,
folhas de jornal velho,
lápis,

pincel nº20

Riscar na tela linhas circulares delicadamente com o lápis.
Numa tigela funda juntar 1 litro de água com um copo de cola branca Cascorez rót.azul, e mexer bem.

Rasgar a folha de jornal velho em tiras compridas e de mais ou menos 5 cm de largura.
Torcer sem exagerar, para formar uma cobrinha comprida.
Molhar na água com cola. Não é para encharcar muito mas deve ficar maleável.

Passar cola pura sobre o desenho na tela, começanco do centro para fora, e ajeitar a cobrinha de jornal úmido sobre ela, e apertar um pouco para grudar. Se você reparar bem, não é para ficar muito certinho não. Isto deixa o trabalho mais solto, menos rígido.

Continuar até chegar às bordas da tela.
Deixar secar muito bem antes de pintar.

Primeiro passar uma ou duas demãos de tinta látex branca para cobrir bem as letrinhas do jornal. Deixe secar bem e pinte com a cor escolhida.

Para finalizar passe uma demão de verniz acrílico.


OBS: use materiais recicláveis no lugar do jornal, como estopa, tiras de tecido ou lã, por exemplo."

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Lâmpadas queimadas na árvore de Natal

Peguei ali no Flickr, essa ideia tchutchuca para reaproveitamento das lâmpadas queimadas que pintadas viraram pinguins para a árvore de Natal.


O passo a passo da caixinha quadrada- by Lilly

Zentiiii... tive um fim-de-semana cheio de fortes emoções.
Há quase um ano minha doce Mell (a caçulinha) arrumou um namorado virtual, ele mora láááá pras bandas de Itu-SP. E não é que meu novo genro, aproveitando o feriado de quinta (que não aconteceu em Brasília), aterrisou no Planalto só pra conhecer a família Buscapé da Sil?
Foram dias movimentados e muito bons.
O mocinho chegou na quarta e já foi se enturmando com a cachorrada (Thaís, Léo e Athus), aliás pra quem tem cachorros sabe que quem manda no pedaço são eles. Se gostarem, fica. Senão.... hunff!!
No domingo, dia marcado para meu genro retornar para casa, deu peninha. Ele não queria ir e ela não queria que ele fosse... coisas do primeiro amor.
Agora já estou sofrendo antecipadamente com umas conversas encostadas sobre o período de férias que tá chegando.
Ai ai ai. Aguenta coração!!!

Aliás, vou contar logo. Namoro virtual por aqui não é nenhuma novidade. Há 10 anos conheci o Cris, meu marido, em um tal de Odigo (para a tecnologia atual, o programinha talvez esteja na condição de "caducavô" do MSN). Só que o namoro aqui tinha uma pequena diferença... meu marido ficava a 30km de distância.... ai ai... coisas do primeiro amor virtual. E num é que deu certim como bife e cebola?...kkkkkkk

Mannnssss! Voltemos as atenções para as outras paixões que fazem a vida mais colorida, colada, envernizada, pintada, costurada, fuxicada, recortada... as nossas invencionices e arteirices.
A Lenita não conseguiu acessar o passo a passo da embalagem quadradinha.
Então, euzinha que gosto de matar o pau e mostrar pra cobra, dei outra pegadinha na Lilly especialmente para vc, Lenita. Obrigada pelas visitas.
Lilly, meu xuxu, vc tá d+, menina!

Passo a passo da caixinha quadrada (achatada) - by Lilly

1 - Corte a parte lisa da garrafa


2 - Amasse, dando um vinco dos lados



3 - Pegue uma das beiradas e dobre para dentro, fazendo o mesmo dos dois lados.



4 - Vai ficar assim.



5 - Cole fita com cola branca.



6 - Cole um arranjinho e pronto.



* * * * *
Há dias quero comentar que ainda não esqueci das danadas das bolinhas de gude no fio de nylon. Elas estão presas nos calcanhares de tico e teco. Tenho comentado com todo mundo que encontro, na tentativa de fazer valer o ditado "de onde menos se espera é que sai alguma coisa."

Aos poucos vou organizando essa lista de marcadores. Não sei de onde inventei tantos nomes para as mesmas coisas... :D
E acho que devo uma boa explicação do porque minha figurinha tá repetida na lista de seguidores de algumas casas que sou fã.
Não! Não tenho clone!

Como me determinei a organizar o blog antes que 2008 acabe, registrei um e-mail para o Peguei na rede (pegueinarede1@gmail.com) só para separar os assuntos do blog daquela babel que é o meu gmail pessoal. Uma verdadeira zona... de guerra!
Com o novo mail, aproveitei e fiz o perfil do blog lá no Orkut (confesso que é só sarna pra me coçar... hihi).

Aí, eu Sil, que não sou boba. Me convidei (com o novo mail) para ajudar na administração da casa. Nem pedi tempo para pensar no assunto, aceitei na hora! E, estamos aqui sem segredos.

Aliás, não sei qual de nós está on line agora mas, uma das duas acatou a reclamação da Bruxinha Arteira e... pronto! Não temos mais as letrinhas para confirmação de coments. Também achamos aquilo uma grande perda de tempo.

Vixiiii, e minha mãe ainda não sabe como consigo fazer tanta bagunça.
Mais é ansim qui funçona, mãiiiii!

sábado, 22 de novembro de 2008

Embalagens com garrafa pet - (by Lilly)

Minha amiga Lilly acha difícil conciliar blog e orkut, mas nem por isso deixaremos de fofocar as arteirices dela.
Xêrão procê Lilly, jazin apareço para aquele nosso café.

E já que chegamos ao tão sonhado findi, vai ser difícil não rolar uns refrigerantes aí pelos armoços e merendas. Até porque faz parte das negociações com a molecada "no findi eu libero o refri".
Aí rola também umas garrafas vazias de pet e... assim, do nada, a gente lembra que daqui um mês é Natal, troca de presentes...
E vai que amanhã, domingueira, o caboclo arteiro baixa querendo fazer uns trem... opsss...
Ahhh! Deixemos os entretantos de lado.

Peguei da Lilly esse passo-a-passo de embalagem para presente feito com garrafa pet. Na verdade, uma embalagem que já se faz um belo presente.

1 - Corte a parte lisa da garrafa e apare as beiradas


2 - Aperte no meio, juntando as duas partes


3 - Agora, dobre ao meio, assim.


4 - Faça um vinco embaixo, de modo que tanto a parte de dentro, quanto a de fora, fiquem unidas.


5 - Solte e verá que já tomou forma de coração.


6 - Dobre novamente e escolha a largura que quer para a tampa, então corte.


7 - Cole um fundo de papel cartão, com cola quente, com cuidado para não derreter. Apare as beiradas.


8 - Passe fita em volta com cola branca.


9 - Para a tampa, faça o mesmo. Se quiser um tecido, cole sobre o papel cartão. Apare as beiradas.


10 - Encaixe tampa e base. Faça com garrafa de vários tamanhos. Não ficaram lindas?


Esse outro modelo, embalagem quadradinha e achatada, também com garrafa pet, tem passo-a-passo no próximo post.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Garrafas e mais garrafas

Zentiiiiii! Agora é rapidim, viu Margaret?
Já comi meu macarrãozinho e, pra não me atirar de barriga cheia na caminha deliciosa que me espera, fui ali conhecer o Vi por aí, um espaço novinho que tem uma visão de futuro, só falta colocar um selinho "Vendo a vista"...kkkk .
De lá eu peguei só um tira-gosto (tem muitas outras ideias) para que sintam a magia da transformação que podemos aplicar às amadas garrafas, né Viviany?


Pronto! Depois de pagar um king kong até descobrir o significado de BADE (obrigada pela luz Talminha), já fui lá conhecer e linkei o site, porque onde tem boas pegadas eu tô ligada.
Agora vou lavar as partes ardidas e mimi.
Boa noite pro6 tudo

Rosquinhas Douradas da Lu

Ai ai... alguém aí pode imaginar como tá gostosinho aqui? Um barulhinho bom de chuva fina no telhado. O céu avermelhado promete uma noite de frio... dilhiça dimais da conta...
Óia o trem querendo. :D

Frio, chuvinha, dá uma vontade danada de comer umas coisas diferentes que nos remetam às origens, ao sossêgo do interior (ainda que seja uma grande ilusão). E nesse clima de "chega pra perto e me pega no colo", o que eu encontro na rede? Essa foteeinha com um prato cheio de rosquinhas que a Lu, uma mineira de Araxá, faz... fez... ou fazia (tudo indica a Lu abandonou o blog). Quanto à receita não vou fazê-la hoje porque já estou preparando uma macarronada...


Ahhhh! Acho que ainda não falei que a-do-ro massa e venha lá do que jeito que vier: ao molho branco, ao sugo, ao alho e óleo, com sardinha, com atum, com salada, com feijão... só não sou fã da tal al dente. Gosto de massa cozida mas, não pensem que é aquele godó passado do ponto de cozimento que quase vira mingau.
Mas, o que gosto mesmo é de macarronada gelada, aquele soborô do armoço que vai pra geladeira, sabe? Hummmmm... é só pegar e mandar pro buxim.

A receita das rosquinhas douradas da Lu vou deixar guardadinha aqui no cadernão, para colocá-las em prática no findi. Mas, até lá se alguém fizer conta pra gente... e manda por Sedez, uma porçãozinha preu, tá?

Rosquinhas Douradas (by Lu)

04 colheres de sopa de margarina
04 colheres de sopa de açúcar
03 gemas
04 colheres de sopa de farinha de trigo
02 xícaras de chá de amido de milho

Bata bem a margarina, o açúcar e as gemas, até ficar bem cremoso. Junte a farinha e o amido, misture bem com as pontas dos dedos, até formar uma massa macia, mas que não grude nas mãos. Se necessário, acrescente mais um pouco de amido, mas cuidado para a massa não ficar ressecada. Enrole como rosquinhas e leve para assar em forno médio (200°), pré-aquecido, por uns 15 minutos, ou até que dourem embaixo (levante com um garfo para verificar). Não precisa untar a assadeira. Assim que ficarem prontas, retire com uma espátula e deixe esfriar sobre um prato.

São muito fáceis de fazer, até minha filha, que não aprecia muito a culinária, faz com facilidade. Vale a pena experimentar. Uma dica: se puder, use ovos caipiras, pois as gemas são mais avermelhadas, o que dá o tom "dourado" do título da receita.


Aproveitei pra pegar essa outra que também acho uma dilhiça



Biscoito de Polvilho Azedo (by Lu)

Ingredientes:

  • 150 ml de leite
  • 150 ml de óleo
  • 1/2 kg de polvilho azedo
  • 1 colher de chá de sal
  • 4 ovos
  • 150 ml de água

Modo de Preparo:

  • Esquentar o leite e o óleo até ferver. Escaldar o povilho. Acrescentar o sal.
  • Bater os ovos na batedeira, acrescentar o grude de polvilho, continuar batendo e ir acrescentando a água devagar até ficar uma massa gostosa, mole e bem homogênea.
  • Despejar a massa em um saco plástico ou saco de confeitar e fazer os biscoitos bem rápido, em formato de argolas. Não é preciso untar a assadeira.
  • Levar ao forno alto bem quente, até dourar, cerca de 10 a 15 minutos.
  • Retirar da assadeira e deixar esfriar bem antes de guardar na lata ou saco plástico. Conservar bem fechado para não amolecer.

É impossível comer um só...

* * * * *


Voltando ao inesgotável assunto FONTES, a Luana da Casa de Lua, disse não saber quanto custa uma bombinha de aquário. Aí fui pesquisar e lá no Mais Você encontrei outras ideias para criação de fontes e também essa dica interessante com relação à bombinha e o tamanho da fonte: Obs.: (Para tachos com 30 cm de diâmetro: bomba de 90 litros por hora. Para tachos maiores que 30 cm: bomba de 140 litros por hora.)

Então, Luana, pelo que vi na rede o preço da bombinha dependerá da marca (fabricante), voltagem e potência do aparelho além do tamanho da sua fonte. Vi preços que variam entre R$ 29,00 a R$ 1.500,00

Outras ideias para fontes:

Fonte de Pedra

Fonte Feng Shui

Fonte de Parafina

E peguei lá na Casa Claudia, essa ideia bem interessante para uma fonte de varanda ou quintal

Texto Casa Claudia "Vista valorizada
Voltada para o muro lateral da casa, a paisagem da janela do quarto não agradava os moradores. Um pequeno jardim com fonte, planejado pela paisagista Cynthia Azevedo, tel. (11) 3237-3314, São Paulo, deixou o local mais atraente. O primeiro passo foi pintar a parede com uma cor viva para aquecer e tornar a área acolhedora. Para contrastar com esse fundo, foram selecionados vasos brancos de cimento patinado, da Rosa Pinc, tel. (11) 3742-4407. Dois dos recipientes recebem as crássulas, pequenas árvores originárias da África do Sul, de manutenção simples. "Elas resistem bem ao sol e não precisam de regas. Basta a água da chuva", explica Cynthia. A fonte mereceu destaque, posicionada sobre um deque de ipê e à frente de um painel de bambu, do qual sai a bica - trabalho da Kanela, tel. (11) 3742-8641.
Sem quebra-quebra
Uma mangueira e uma bomba de aquário permitiram instalar a fonte sem quebrar a parede para passar o encanamento. A água escoa lentamente por uma perfuração no fundo do vaso. Dali sai a mangueira, que segue por debaixo do deque e sobe por trás do painel de bambu. Acionado diariamente por meio de um interruptor dentro da casa, o sistema oxigena a água dos aguapés e evita a proliferação de mosquitos.Fotos: Itaci"

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Fontes

Durante os dias sem conexão (por causa da trovoada que apagou meu modem), percebi que o baú dos guardados (entenda-se quarto da bagunça) tava precisando de uma caridosa faxina. Então no fim-de-semana convoquei a doce Mell e o amado Cris para um mutirão de limpeza e comecei justamente pelas pilhas de velhas revistas. Cheia de energia e com a disposição de um carrasco, peguei meu banquinho-galão-de-tinta, me joguei no baú e passei a revisar as edições na esperança de responder a pergunta de tico e teco "mas porque essas revistas ainda estão guardadas?".

Pego uma Casa Claudia e lá pelas tantas páginas vejo um ambiente muito tchutchuco... melhor manter essa edição. Passei para a segunda, uma Casa e Jardim de 1999... olha que lindo! Ehhh... essa também tá boa, melhor guardar. Revista de velas e artesanato em papel? Nem pensar em desprezá-las. Guarda!
Ao final da primeira pilha... Bom! Voltei todos os exemplares para o mesmo lugar e cancelei o serviço. Mas, ainda fiquei pesarosa. Às vezes por causa de uma foteeinha, uma receita, uma dica acabamos por entulhar cantos e gavetas com velhos periódicos. E foi aí que meu amado Cris me lembrou que scanner taí pra isso, né? É simples. Digitaliza o que interessa e o restante vai pra reciclagem.
Ahhh que coisa feeeia! Tico e teco só querem saber de fazer fofocas.

Por enjoar facilmente das coisas, não sou assinante de nenhuma revista. E minha insaciável fome de novidades me faz prefirir molhar a minhoca nos sites e vez ou outra pescar uma edição impressa na banca do Zé.

Mas, nos últimos dias montei acampamento lá na Editora Europa, mais precisamente na revista Natureza. Gosto dessa editoria, porque além das dicas preciosas, da linguagem simples e inteligível, o que me cativa mesmo é a abrangência e proximidade de seus assuntos com a realidade da maioria das famílias brasileiras. Diferente de outras editoras que falam com tanta simplicidade em R$ 2.700,00 por um banco de palhinha (né não Bade?) e que quase nos faz pensar que é naturalíssimo pagar mil pratas por uma "lixeirinha".

É, comunicólogos também sucumbem a tentação das comprinhas por impulso. Ainda que sejam desejos bem mais... humildes.
Mas aí, eu paro, respiro, tomo um cafezinho na casa das amigas, coloco a fofoca em dia, aprendo coisas novas, vejo dicas interessantes e.... a simples vontade de torrar mil pratas, passa.

Como ainda não tenho a minha fonte, peguei lá na Natureza esse passo-a-passo:
1. Material: recipiente, bombinha submersa para aquário, um pedaço de manta TNT, bico e mudas de alface-d’água.

2. Coloque a bombinha no fundo do recipiente e puxe a mangueira até a borda. Depois, envolva-a com a manta.

3. Posicione as mudas de alfaces-d’água com cuidado para disfarçar a mangueira.

FONTE EM MINIATURA
Uma fonte em miniatura que é uma coisa lindinha demais. Com passo-a-passo, em texto e fotos, postado lá no blog da Cláudia. Essa pegada foi uma dica da Dani do Verde Novo.
Xêro pro6 meninas.

* * * *

Uai, Bade mudou a assinatura? E eu nem tive tempo de perguntar: mas o que significa Bade?

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Essa eu não sabia

Ouvi falar do caso de um gato que morreu depois de comer uma flor da espirradeira. Isso é possível?
Maria de Vasconcelos (por e-mail)


Genteiiinnn! Por essa eu não esperava.
Uma leitora da revista Natureza fez a pergunta e o alerta foi esse:

Marcelo Novaes responde:
Sim. Apesar de muito bonita, a espirradeira exige muito cuidado ao ser utilizada no jardim. Todas as partes da planta são perigosas se mastigadas ou ingeridas. Também existe o risco de intoxicação por ingestão de água contaminada com flores ou folhas da planta. A intoxicação causa dores abdominais, sonolência, indisposição, falta de equilíbrio e taquicardia que, em casos extremos, pode levar à uma parada cardíaca ou até à morte. Também conhecida como flor-de-são-josé, a espirradeira atinge entre 2 a 4 m de altura e apresenta folhas em forma de lança e flores que vão do rosa-intenso, quase vermelho, ao branco.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Pragas no jardim

Com tanta água, até as lesmas correm do risco de afogamento e procuram abrigo dentro das casas. Depois de um pancadão de chuva, dei de cara com um desses bichinhos adentrando minha cozinha. O mandei passear em outras paragens, e fui ali na revista Natureza, Editora Europa, pegar essa reportagem bem interessante, que nos ajudará com os visitante indesejáveis.

Pragas no Jardim por Tatiana Pinheiro
Ilustrações: Euroimagem

Saiba como reconhecer e combater as pragas que atacam seu jardim.

Pulgão
É do tamanho de uma pulga, podendo ser verde, preto, marrom, branco ou amarelo.
Ação: é um inseto sugador da seiva dos brotos novos e das flores.
Combate: pulverize calda de fumo a cada três dias.




Formigas
As saúvas, grandes e negras, são prejudiciais às plantas.
Ação: picotam as folhas.
Combate: amarre um pano com pimentas vermelhas na planta atacada, sem apertar muito, ou aplique extrato de pimenta no caule – pimenta amassada com um pouco de água.




Cochonilhas

Em geral, se apresentam de duas maneiras: como minúsculas moedinhas pretas ou marrons, ou envolvidas em uma teia branca parecida com algodão.
Ação: gostam da base das folhas, das dobras, das bifurcações, dos botões e dos ramos novos, de onde sugam a seiva elaborada até matar os brotos.
Combate: retire as pequenas infestações com cotonete embebido em álcool e as grandes com pulverizações de óleo mineral a 1%, que asfixiam os insetos. Repita as pulverizações depois das chuvas.

Fungos e Ácaros
São invisíveis, mas deixam sinais de sua passagem nas folhas.
Os fungos deixam manchas circundadas por anéis amarelos e os ácaros deixam uma espécie de ferrugem no verso das folhas.
Ação: atacam folhas, flores e o caule.
Combate: a calda bordalesa é um ótimo preventivo quando
aplicada a cada 15 dias. Se o ataque de fungos já tiver ocorrido, só fungicidas poderão eliminá-los. No caso dos ácaros, é possível limpar as folhas atingidas com algodão embebido em álcool.



Lesmas

Ação: rastejam por todo o jardim, comendo folhas e brotos.
Combate: atraia esses bichinhos com recipientes rasos cheios de cerveja, retirando-as depois.






Tatuzinhos-de-jardim
Ação: comem as raízes novas.
Combate: parta para a catação manual ou polvilhe folhas de tabaco trituradas na terra para evitá-los no futuro.



Piolhos-de-cobra

Ação: comem as brotações novas das raízes.
Combate: como são visíveis, o melhor é catá-los um a um.

Lagartas
Bichinhos rastejantes, facilmente identificáveis nas plantas ou suas proximidades. Há as mais discretas e as mais chamativas.
Ação: comem raízes, brotos e folhas novas.
Combate: catação manual ou, no caso de infestação em árvores, pulverização de uma mistura de 10 litros de água com 100 g de cal.

Caramujos
Espalhe pó de café, sal ou cinza de cigarro ao redor das plantas do seu jardim para evitar o ataque de caramujos. Outra dica é contornar o canteiro com uma linha de cal virgem, tomando cuidado para não colocar muito perto das plantas
para não as queimar.





Receitinhas caseiras para combater as pragas


Calda de fumo – Pegue 100 g de fumo e deixe de molho em 700 ml de água durante 24 horas. Depois, coe o chá e acrescente mais 700 ml de água, misturando bem.

Calda bordalesa – Coloque 200 g de sulfato de cobre em um saco de pano e mergulhe-o parcialmente por 4 horas em 18 litros de água. Separadamente, dissolva 200 g de cal virgem em 2 litros de água. Junte as duas misturas e mexa bem. Antes de usar, faça um teste de acidez. Mergulhe uma lâmina de ferro na mistura. Se a placa escurecer, acrescente um pouco mais da mistura de cal e teste novamente.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Aviso aos navegantes

Ai ai... o que era uma caprichada listeeeinha para o Papai Noel já tá virando lembretezinho.
Isso porque parece que o ridiculo pançudo com cara de bacon com ovos fritos resolveu chegar mais cedo (deve ser vingança por causa daquele post de outubro... hunfff).

Semana passada, bem no dia em que os noticiários disseram que o calor que fez foi o mais quente dos últimos 50 anos de Brasília, meu carro resolveu esquentar com isso. Num percurso de 3km o ponteiro do termômetro só não fez volta completa porque o marcador é uma meia-lua.
Deixei o esquentadinho na oficina. Lá pelo fim do dia o gerente de pista me liga com o orçamento e as... boas notícias.

- Olha, o problema foi SÓ a bomba d'água e a cebolinha que queimaram. Mas TEM que trocar o não sei o que de onde e mais o sei lá donde o quê.
- Tá bom, meu querido, se tem que fazer. E quanto fica?
- R$ 800,00
- O quê? Oi-to-cen-tos reais??? Meu filho! Com esse dinheiro eu compro uma lavoura inteira de cheiro-verde e ainda troco a caixa d'água da minha casa. Que raios de cebolinha cara, moço! Num pode! Qual o menos nisso aí?
- Um minutinho... (entra a voz da moça de aeroporto fazendo propaganda da empresa)...

Minutos depois...
- Senhora? R$ 750,00 à vista.
- Péra um pouco... (tapei o tel e fiquei pensando por não sei quanto tempo... aqui não tem moça de aeroporto).

Minutos depois...
- Olha xuxu, ainda tá muuuito caro mas, façamos assim. R$ 750,00 à vista cê troca a caixa d'água, o cheiro-verde e esses trem que cê falou, discrimina tudo na Nota Fiscal. De brinde cê troca a correia dentada e faz o alinhamento das rodas... que pra mim tá diboa. Ok? Quando fica pronto?

No dia seguinte...
Fiquei sem R$ 750,00.

- Ontem (10/11), domingão, um fim de tarde chuvoso... e eis que o raio de um raio resolve acabar com as minhas caminhadas virtuais. Por essa semana tô ilhada, sem modem e sem roteador... hunnf!

E olho para a minha listinha e vejo um início de rebelião com fuga de presentes...
Vejam lá, meu Kit Dremel dando tchauzinho... féadazunha ...#$¨*%*&*(@
Mas, não vou me delongar por mais tempo. Só vim avisá-los do problema técnico temporário. Até porque aqui tá começando a chover de novo e... não quero correr o risco de molhar meus planos natalinos.

Eu tava procurando nem sei mais o quê e achei essa coisa, digo, casa estranha que me lembrou um professor de Marketing: "O consumismo é vício! Para sobreviver, o homem não precisa mais do que de abrigo e de pão."

Mais detalhes da nova versão para casa na árvore - Treehouse Globe










sábado, 8 de novembro de 2008

Luto pela filhinha da Elaine Crochê


Nossa amiga Elaine Crochê, pioneira no ensino do crochê on line através de vídeos pela net, desde julho de 2006, neste momento precisa de muita luz. Sua filhinha Daniela, 12 anos, faleceu no fim desta semana.

É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais
Vai com os anjos
Vai em paz

Renato Russo


Visitem o blog da Elaine e deixem uma mensagem de luz.

Dicas para organização

Hj pela manhã, abri a gaveta da cômoda e.... nossa! Que bagunça!!
Tinha um sutiã dando uns amassos numa camiseta-doll. Com muito custo desgrudei uma suruba de duas calcinhas e um maiô. Usando da psicologia do deixa-disso-e-parte-pra-outra consegui reverter uma tentativa de crime passional (hummm?): um shortinho enforcava uma luva de lã só porque a parte de cima do biquini deu tira para um dos dois... ou será que foi pra os dois? Sei lá!

Naquela gaveta, que mais parecia promoção em banca de feira livre, quem ficou com vontade de cometer uns crimes de amor fui eu. Pegar tudo e colocar pra reciclagem. Hummmm?!?!? Reciclagem?
Alguém aí recicla lingerie? Se sim, conta pra gente. Porque aqui, só me veio a ideia de fazer tapete de amarradinho. hihihi

Realize! Na porta da minha casa um tapete de amarradinho (ou nozinho como preferir) feito com as tiras das minhas velhas calcinhas, que iriam para o lixo. Chega uma visita, que vê o liiiiindo trabalho no chão mas, fica preocupada em sujá-lo (tem gente que pula tapetes). E eu, muito simpática e hospitaleira que sou, vou logo avisando à nobre figura:
- Não se preocupe. Pode passar os pés nas minhas calcinhas. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Mas, voltando à festa na gaveta dos esconde-vergonhas. Me lembrei que dias atrás, Mônica Loureiro, a Inventadeira de moda, postou essa sugesta bem prática para organizar, não só as lingeries como qualquer coisa que faça farra dentro das gavetas: bijus, remédios, miudezas em geral. Na foto, foram usados fundos de garrafas pet com as bordas arrematadas em crochê mas, muitos outros materiais podem ser usados para o acabamento.



E já que é sábadão e o assunto é organização (coisa que Maria nem conhece). Para os que são imediatistas (como eu) fui ali no Creatrope pegar um paliativo para dar fim ao emaranhado de cabos eletrônicos. No site fala-se em cartões plásticos, desses parecidos com os de crédito, em PVC. Agora que acabaram as campanhas eleitorais, aqui no Brasil (com excessão do DF que não teve), é provável que muitos cartões em PVC estejam engavetados. Opsss! Mais um motivo para limpar e organizar as gavetas.

Mas, se não tiver cartões disponíveis, a ideia pode ser aproveitada com um pedaço de papelão bem reforçado. Se for o caso, vale até mesmo colar camadas de papelão umas às outras (passe cola no papelão, una as camadas e prense com pesos: livros, listas telefônicas etc, e espere secar). Para finalizar, se preferir, é só pintar ou forrar o papelão com o que o Caboclo Arteiro mandar.

A sequência de fotos já é um PAP para o organizador de cabos:




Por falar em organizador, fui dar uma pegadinha lá na PHD em O&M Paula Fuzeto, opsss! Digo, no Chega de bagunça. Nem vou comentar nada sobre a foto, porque além do organizador falar por si, também não tenho explicação melhor do que a da Paula. Vale tomar um cafezinho e conferir a dica.

A Analuci, da Arte&Variedade, indicou o PAP do gaveiteiro-organizador feito com caixas de leite e forrado com retalhos, postado pela Kátia, no Casinha dos moldes. Boa pegada meninas!


Agora, essa coisa estranha com certeza estará na carteeeinha para o Papai Noel. Eu quero esse organizador para mesa de escritório. EU QUEROOOOOO!!! - Dica do Jaeh!blog